CRLV Digital já está valendo no Brasil para todos os veículos

Implementado no início de 2021, após a deliberação do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), a CRLV-E (Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo Eletrônico) substitui a versão física. O documento digital já está valendo em todo o Brasil para todos os veículos desde o dia 1° de janeiro.

Em primeiro lugar, o usuário deverá baixar o aplicativo Carteira Nacional de Trânsito nas plataformas de Android e IOS, onde ficará disponível a CNH-E e o CRLV-E. Nesse sentido, no app, será necessário informar o Renavam do veículo e o código de segurança disponível no Certificado de Registro do Veículo (CRV).

Todavia, o dono do veículo só vai localizar o CRLV digital caso quite IPVA, taxa de licenciamento e DPVAT (isento em 2021), assim como acontece no documento físico.

Os Departamentos de Trânsito dos Estados e Distrito Federal (Detran) de todos os estados têm até o dia 30 de junho para se adaptar ao novo formato. Até então, 22 Detrans já aderiram a tecnologia, de acordo com o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro).

Abaixo consta a lista dos estados que já disponibilizam:

  • Acre
  • Alagoas
  • Amapá
  • Amazonas
  • Bahia
  • Distrito Federal
  • Espírito Santo
  • Maranhão
  • Mato Grosso do Sul
  • Minas Gerais
  • Paraná
  • Pernambuco
  • Rio de Janeiro
  • Rio Grande do Sul
  • Roraima
  • São Paulo
  • Santa Catarina
  • Sergipe

Será possível ter o CRLV físico?

CRLV-físico

O motorista, opcionalmente, pode imprimir o CRLV com a mesma validade da versão digital. Inclusive, para transitar em outros países é necessário que o motorista tenha o documento físico.

A ATPV também terá mudanças?

ATPV-digital

Sim, a Autorização para Transferência de Propriedade do Veículo (ATPV), localizada atrás do CRV, será digital. Contudo, vale destacar que esse é o comprovante de transferência de propriedade, onde comprador e vendedor declaram estarem ciente da aquisição do veículo.

A partir deste ano, somente o vendedor terá que comparecer ao Detran para informar ao órgão sobre a transferência do veículo. Dessa forma, após a ATPV preenchida com os dados do comprador e vendedor, o documento deverá ser impresso.

Logo em seguida, ambas as partes têm que comparecer ao cartório para registrar as assinaturas. Por fim, após esse trâmite, a ATPV-e poderá ser utilizada como comunicado de venda.

CRV impresso continua válido?

CRV-impresso

Sim, a mudança vale para veículos registrados em 2021, portanto, os motoristas que possuem a versão em papel moeda não sofrem impacto.

Assine nossas novidades

    Fique tranquilo, não enviamos spam.
    Tire suas dúvidas