Pneus sem ar: saiba como funcionará o sistema do modelo da Michelin

As adaptações nos veículos não param de acontecer e, em breve, a novidade será a implementação de pneus sem ar. Inclusive, a inovação já tem data para ser lançada no mercado, no ano de 2024.

A ideia da marca Michelin é fazer a substituição dos pneus convencionais, sem interferir na condução do veículo mesmo após furar. Dessa forma, o motorista pode transitar com o carro independentemente se passar em um prego ou pedra, por exemplo, que o veículo não sofrerá nenhum problema.

Como funcionará os pneus sem ar?

pneu-que-nao-fura

Foto: Internet

Ao contrário do que acontece com os pneus convencionais, os pneus sem ar serão equipados com uma roda de alumínio e estrutura flexível de suporte de carga de plástico com fibra de vidro (GRFP) equipada.

Mas a mudança mais significativa está relacionada com a remoção do tubo interno, tornando o design “tubeless”.

A Michelin disponibilizará os pneus com diâmetros 17 e 20 polegadas e tecnologia TPMS – utiliza sensores de monitoramento de pressão em cada pneu.

Por isso, mesmo caso o pneu for atingido por algum objeto, não será afetado.

Os pneus sem ar vão proteger a borracha e poderão ser utilizados mesmo em vias com buracos. Além disso, esse modelo favorece no excesso de componentes jogados no lixo contribuindo com meio ambiente.

Para se ter uma ideia, o UPTIS da Michelin são os primeiros pneus ‘airless’ desenvolvidos.

Outra empresa que também lançou pneus que não furam é Pirelli, todavia, não se trata de pneus sem ar como da Michelin, a inovação se chama “Seal Inside”. No caso desse modelo especificamente, o pneu fica parecendo que tem um selante.

Qual a desvantagem do pneu sem ar?

Mesmo que pareça ser os melhores pneus do mundo, ainda assim, apresentam problemas no desgaste e na vida útil da mesma forma que ocorre com os pneus convencionais. Porém, é considerado mais eficiente em caso de furos.

Assine nossas novidades

    Fique tranquilo, não enviamos spam.

    Tire suas dúvidas